Triagem cromossômica molecular (MPLA TCM)

Genética da doença: 

É realizada pelo método de MLPA (Multiplex Ligation-dependant Probe Amplification), que permite, em uma reação, a análise de deleções e duplicações em várias regiões simultaneamente, não necessitando de cultura de células.

Este método não detecta euploidias ou alterações estruturais, como translocações equilibradas, inversões ou inserções. 

1. Painel subtelomérico (TCM SUB)
2. Painel microdeleções (TCM MIC)
3. Painel Autismo (TCM AUT)
4. Painel Aneuploidias (TCM ANE)
 

1. Painel subtelomérico (TCM SUB)

Indicações: este teste é especialmente indicado para indivíduos com malformações congênitas, atraso de desenvolvimento neuropsicomotor e deficiência mental. Investiga as regiões subteloméricas de todos os cromossomos humanos e pode ser realizado como triagem para as seguintes síndromes, entre outras:

Síndrome 4p- (síndrome Wolf–Hirschhorn) – Região 4p16.3
Síndrome 5p- (síndrome de Cri-du-Chat) – Região 5p
Síndrome dup(9p) – Região 9p
Síndrome del(13q) – Região 13q
Síndrome del(18p) – Região 18p
Síndrome dup(22q) (síndrome cat eye) – Região 22q
Síndrome del(22q) (síndrome Phelan-McDermid) – Região 22q13.3
 

Informações adicionais: Anomalias cromossômicas são frequentemente associadas a malformações congênitas, dificuldades de aprendizagem e deficiências mentais e de crescimento. Em alguns casos estas anomalias podem ser observadas pelo cariótipo, mas, frequentemente são menores do que o exame de cariótipo pode detectar (rearranjos submicroscópicos). As regiões subteloméricas (extremidades dos cromossomos) são regiões ricas em genes e aproximadamente 5-10% dos pacientes portadores de anomalias congênitas e deficiência mental, com cariótipo prévio normal, apresentam deleções e duplicações nestas regiões. Rearranjos submicroscópicos contribuem, assim, com uma parcela considerável de anomalias cromossômicas neste grupo de pacientes, sendo de grande importância na elucidação da etiologia das síndromes com múltiplas malformações e na orientação e aconselhamento genético dos consulentes.

 

2. Painel microdeleções (TCM MIC)

Indicações: este teste é indicado para pacientes com suspeita clínica específica para uma das síndromes abaixo descritas ou para pacientes portadores de malformações congênitas, atraso de desenvolvimento neuropsicomotor e deficiência mental não especificados.

Síndrome Velo-Cárdio-Facial (DiGeorge) – região 22q11.21;
Síndrome de Williams – região 7q11.2;
Síndrome de Smith-Magenis – região 17p11.2;
Síndrome de Miller-Dieker – região 17p13.3;
Síndrome de Prader-Willi/Síndrome de Angelman – região 15q11.2
Síndrome da deleção 1p – região 1p36-1pter;
Síndrome de Alagille – região 20p12.2, gene JAG1;
Síndrome de Saethre-Chotzen – região 7p21, gene TWIST1;
Síndrome de Sotos – região 5q35.3, gene NSD1.
 

Informações adicionais: Uma grande parcela das síndromes associadas a malformações congênitas e deficiência mental é causada por alterações cromossômicas não detectadas no cariótipo comum. Embora, em alguns casos, o diagnóstico destas síndromes possa ser realizado apenas pela anamnese e exame clínico, em muitos pacientes, os sinais e sintomas não são suficientes para estabelecer um diagnóstico. Nestes casos a realização de um teste molecular de triagem para as microdeleções mais frequentemente associadas a malformações e deficiência mental pode auxiliar na elucidação da etiologia da síndrome do paciente. 

 

3. Painel Autismo (TCM AUT) 

Indicações: este teste é indicado para pacientes com suspeita de transtorno do espectro autista. Analisa 3 regiões do genoma que encontram-se alteradas em 1 a 3% do total de casos de TEA.

Região 15q11-13
Região 16p11
Região 22q13

 

4. Painel Aneuploidias (TCM ANE) 

Indicações: este teste é indicado para pacientes com suspeita clínica de aneuploidias envolvendo os cromossomos sexuais e os autossomos 13 (síndrome de Patau), 18 (síndrome de Edwards) e 21 (síndrome de Down).