Neuropatias Periféricas Hereditárias

Genética da doença: 

As neuropatias hereditárias de Charcot-Marie-Tooth (CMT) constituem um grupo de doenças caracterizado por polineuropatia sensorial e motora crônicas. Apresentam grande heterogeneidade genética e os mecanismos de herança podem ser autossômico dominante, autossômico recessivo ou ligado ao cromossomo X.

O tipo mais frequente de CMT é a forma 1A (CMT1A), causada pela duplicação da região 17p11.2-p12, que inclui o gene PMP22. A deleção desta mesma região está associada ao quadro de neuropatia hereditária sensível à compressão (HNPP).

As principais neuropatias periféricas hereditárias e genes associados são:

 CMT1 (herança autossômica dominante):

  • CMT1A – PMP22 (duplicação)
     
  • CMT1B – MPZ
     
  • CMT1C – LITAF
     
  • CMT1D – EGR2
     
  • CMT1E – PMP22 (mutação de ponto)
     
  • CMT1F – NEFL

CMT2 (herança autossômica dominante):

  • CMT2A1 – KIF1B
     
  • CMT2A2 – MFN2
     
  • CMT2B – RAB7A
     
  • CMT2B1 – LMNA
     
  • CMT2B2 – MED25
     
  • CMT2C – TRPV4
     
  • CMT2D – GARS
     
  • CMT2E – NEFL
     
  • CMT2F – HSPB1 (HSP27)
     
  • CMT2I/J – MPZ
     
  • CMT2H/K – GDAP1
     
  • CMT2L – HSPB8 (HSP22)
     
  • CMT2N – AARS
     
  • CMT2O – DYNC1H1
     
  • MT2P – LRSAM1

 Formas intermediárias com herança autossômica dominante:

  •  DI-CMTB – DNM2
     
  •  DI-CMTC – YARS
     
  •  DI-CMTD – MPZ

CMT4 (herança autossômica recessiva):

  • CMT4A – GDAP1
     
  • CMT4B1 – MTMR2
     
  • CMT4B2 – SBF2 (MTMR13)
     
  • CMT4B3 – SBF1 (MTMR5)
     
  • CMT4C – SH3TC2 (KIAA1985)
     
  • CMT4D – NDRG1
     
  • CMT4E – EGR2
     
  • CMT4F – PRX
     
  • CMT4H – FGD4
     
  • CMT4J – FIG4

CMTX (herança ligada ao cromossomo X):

  • CMTX1 – GJB1
     
  • CMTX5 – PRPS1

 

Quadro Clínico: 

As neuropatias periféricas afetam de 2 a 4% da população. São caracterizadas pela presença de sintomas motores (perda de força, atrofia e fraqueza muscular) e sensitivos (formigamentos, hipersensibilidade com dor neuropática, diminuição da sensibilidade tátil ou dolorosa). Podem ainda causar alterações no sistema nervoso autônomo que resultam em descontrole, entre outros, da pressão arterial, da sudorese, do lacrimejamento e da temperatura. As neuropatias periféricas aparecem, em muitos casos, em consequência de outras patologias, tais como o diabetes mellitus, a hanseníase e o lúpus eritematoso sistêmico. Entre as neuropatias de etiologia genética, encontram-se as neuropatias hereditárias de Charcot-Marie-Tooth (CMT) e a neuropatia hereditária sensível à compressão (HNPP).

As CMT apresentam grande heterogeneidade clínica e características eletroneuromiográficas distintas. Está entre os grupos mais comuns de neuropatias genéticas, afetando crianças e adultos com uma frequência relativamente alta (um caso para 3300 pessoas). Estas doenças caracterizam-se pela degeneração lenta e progressiva dos nervos periféricos, levando à atrofia e à fraqueza dos músculos distais dos membros. Muitas vezes, causam deformidades das mãos e dos pés, bem como alterações da sensibilidade e dos reflexos dos tendões. Em 97% dos indivíduos portadores da forma herdada, a primeira manifestação da doença acontece até os 27 anos de idade.

A neuropatia hereditária sensível à compressão (HNPP) caracteriza-se pela ocorrência de lesão dos nervos periféricos em resposta a fatores externos como pressão ou execução de movimentos repetitivos, levando a episódios de dormência, formigamento e fraqueza muscular.

 

Consulta / Contato: 

Consultas e/ou exames devem ser agendados no CEGH pelo telefone (11) 3091.7966 ou (11) 3091.0878. Profissional que
tende: Dra. Rita Pavanello.

 

Teste Genético: 

MLPA-CMT1A/HNPP. Indicado para investigação de duplicação/deleção de PMP22 em pacientes com suspeita clínica e/ou histórico familiar de CMT1A ou HNPP.

Painel NGSv1. Indicado para a investigação de mutações de ponto em pacientes com quadro clínico de neuropatia periférica hereditária.

 

> Ir para Painel NGSv1