Revista Espaço Aberto: retrato do autismo

No  dia 2 de abril comemora-se o dia Mundial da Conscientização do Autismo, data decretada pela ONU (Organizações das Nações Unidas) em 2008. Desde então as campanhas de conscientização  tem chamado a atenção para o transtorno.

Para a data  ser lembrada no Brasil,  o país tem realizado eventos neste período, todos eles para  chamar a atenção para o autismo, como a iluminação dos principais monumentos de azul (cor definida para o autismo).  Neste ano os  monumentos da cidade de São Paulo azulados pela foram o Viaduto do Chá, Ponte Estaiada e Monumento às Bandeiras

Estima-se que  o Brasil tenha mais de  dois milhões de autistas, muitos deles ainda sem um diagnóstico. O transtorno do espectro autista (nome oficial), de um modo geral, ainda possui causas desconhecidas, mas existem várias evidências que o autismo dependa de componentes genéticos para sua manifestação.

O autismo foi descrito pela primeira vez por Leo Kanner,  em 1943, por um  artigo publicado na revista Nervous Children, com o título  “Autistic disturbances of affective contact". No texto ele descrevia o comportamento em comum de onze crianças.

A revista Espaço Aberto, edição 170, trouxe a a reportagem “Um retrato do autismo no Brasil”. Entre os entrevistados, está a professora titular do IB, Maria Rita Passos Bueno. Ela é a maior especialista em genética de autismo do país e  coordena o núcleo voltado a autismo do Centro de Pesquisa sobre Genoma Humano e Células-Tronco . Clique AQUI para ler a reportagem da revista da USP Espaço Aberto.