Fapesp e o corte de R$ 120 milhões

Fapesp e o corte de R$ 120 milhões

Nos dias finais de 2016, a Assembléia Legislativa paulista aprovou uma lei orçamentária desviando R$ 120 milhões da dotação assegurada para a Fapesp - Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, para a  recuperação dos Institutos de Pesquisa Estaduais. Pela Constituição estadual, este  valor corresponde a  mais de um décimo do desembolso previsto na proposta do Executivo, R$ 1,117 bilhão. Com isso, em lugar do mínimo de 1% da receita  tributária estipulado no artigo 271 da Constituição estadual, a Fapesp contaria com 0,9%.

Diante da notícia que pegou todos de surpresa e pela importãncia inquestionável da Fapesp para a pesquisa, a professora titular e diretora do Centro de Pesquisas em Genoma e células-tronco (CEGH-CEL) do IB, Mayana Zatz, escreveu para a Revista Veja no "Página Aberta" o artigo "Em time que está ganhando não se mexe".

Este artigo de Mayana Zatz teve a  colaboração de Maria Rita Passos-Bueno, Luis Eduardo Soares Netto e Gilberto Fernando Xavier; respectivamente  coordenadora de Tranferência de Tecnologia  do CEGH-CEL, chefe do Departamento de Biologia Evolutiva do IB, diretor do Instituto de Biociências da USP.

 

Para ler o artigo de Mayana Zatz, acesse pelo link abaixo

http://veja.abril.com.br/complemento/pagina-aberta/fapesp-em-time-que-es...

 

Leia também;

http://www1.folha.uol.com.br/ciencia/2017/01/1853968-governo-alckmin-vai...